Wtransnet revela porque é que é a bolsa de carga mais segura da Europa

0

Nascida em 1997 na capital da Catalunha, a bolsa de carga Wtransnet propõe-se a ligar camiões com espaço disponível e cargas que necessitam de ser transportadas de forma segura. Para o conseguir celebrou um protocolo com uma seguradora que garante a cobertura de 90% do valor dos fretes e mantém uma lista de critérios exigentes para admissão de novos associados, entre outras estratégias. Hoje em dia são mais de 10.000 as empresas, espalhadas por 23 países, que confiam na Wtransnet e é com base nas suas sugestões e necessidades que esta bolsa de carga tem trabalhado para desenvolver novos canais de comunicação e soluções.

Entrevista com Manuel Fontes

Area Manager da Wtransnet

Como funciona a bolsa de carga da Wtransnet?

A bolsa de carga da Wtransnet nasce em Barcelona, há 18 anos, com a ideia de ser um elo de ligação entre quem tem uma carga e quem tem um camião. Uma solução on-line que visa ajudar empresas do setor do transporte. Isto quer dizer que apenas transportadores e transitários podem trabalhar com a bolsa de carga da Wtransnet e fazem-no neste esquema: quem tem a carga aproveita a plataforma para anunciá-la e quem tem camiões disponíveis para determinadas rotas também pode anunciar a disponibilidade dos seus camiões.

Depois, num matching automático, a empresa que tem camiões anunciados na bolsa vai receber as “coincidências” – ou seja, todas aquelas cargas que lhe podem servir – e pode contactar diretamente com as empresas que oferecem essas cargas, para negociar o preço e a forma de pagamento. Caso não conheça a empresa que oferece a carga, pode aceder à ficha de associado, ver a atividade da empresa, há quantos anos é associada da Wtransnet, que rotas faz… No fundo, conhecer um pouco melhor a empresa – pode, inclusive, contactar a Wtransnet para saber mais informações sobre a empresa ofertante da carga, e com isso pode entrar em contacto com ela para negociar preço, forma e prazo de pagamento. A ordem de carga é enviada e depois disso o transporte pode ser realizado.

Porque é que a Wtransnet se apresenta como a bolsa de carga mais segura da Europa?

É a bolsa de carga mais segura da Europa, sim. Nós entrámos no mercado em 1997, mas só em 2001-2002 começámos a ter alguns associados e vimos que era muito difícil entrar num mercado já coberto pela concorrência de outra empresa que está há vários anos nesta atividade. Assim, para nos diferenciarmos da concorrência, decidimos colaborar com a seguradora Coface para lançar um serviço de garantia de pagamento, o qual permite aos associados da Wtransnet assegurar o pagamento dos serviços em contrato na Wtransnet. Por termos a única bolsa de carga com esse serviço de garantia de pagamento a designamos como a mais segura da Europa.

Caso a empresa transportadora tenha interesse em assegurar o pagamento da carga que leva, pode, por meio da plataforma Wtransnet, fazer a garantia de pagamento dessa viagem pelo custo de 1,39% do valor do frete, e vai cobrir o pagamento de 90% da fatura. Caso a empresa ofertante não efetue o pagamento no prazo estipulado, a seguradora Coface indemniza a empresa transportadora em 90% do valor acordado / do valor na fatura. É um serviço inovador e que permite ao associado trabalhar com a máxima segurança dentro da nossa plataforma.

Outra coisa que nos diferencia é que, para além da carga mais esporádica, que é anunciada na bolsa de carga propriamente dita, também temos um serviço que é a bolsa de rotas fixas, em que o associado pode encontrar trabalho regular.

Recentemente foi lançada a Wtransnet Cargo, uma aplicação de smartphone que ajuda os clientes da vossa bolsa a fazer a gestão de cargas. Quais são os principais benefícios do uso desta aplicação?

Vista de um dos ecrãs da aplicação Wtransnet Cargo.É importante sem dúvida o uso desta aplicação. Muitos associados pediam-nos a possibilidade de fazer toda a gestão por telefone – por exemplo, entravam em contacto com a Wtransnet por telefone para que nós oferecêssemos por eles a disponibilidade do seu camião; ligavam-nos para que tratássemos de uma garantia por eles; depois contactavam-nos para que víssemos a ficha de um associado que ainda não conheciam… Entravam em contacto connosco várias vezes e por muitos motivos. Começámos a verificar que havia a necessidade de criar uma plataforma constantemente acessível aos associados, que lhes permitisse, em poucos cliques, oferecer o camião, fazer uma garantia, fazer pesquisa sobre associados, procurar uma opção de “volta a casa”, receber notificações das várias cargas que entram no sistema e que podem ser interessantes… Questões que garantem a maior autonomia do associado face à Wtransnet na obtenção de resultados, porque pode aceder à plataforma a qualquer hora do dia, por meio de smartphone.

Imaginemos um associado, transportador, que oferece a disponibilidade do seu camião para o dia de hoje, para o percurso Lisboa-Madrid, e deixa essa informação na Wtransnet. A partir desse momento, se por acaso houver uma carga que coincida com esses critérios, o transportador recebe logo um aviso por e-mail de que há uma carga que lhe pode interessar e aí pode contactar logo a empresa ofertante para combinar preço e prazo de pagamento. É um sistema dinâmico porque o transportador vai recebendo as várias propostas de carga enquanto o camião está oferecido na bolsa.

Ora, acontece que há muitos associados que não têm ainda internet no telemóvel e por isso não aproveitam esta funcionalidade. Quando a internet no telemóvel era ainda uma coisa de muito poucos já nós oferecíamos a possibilidade de receber este tipo de avisos por sms, um serviço que mantemos até aos dias de hoje – há ainda muitos associados que são avisados por essa via da existência de cargas que lhes podem servir.

É com os nossos clientes e associados que vamos aprendendo a desenvolver serviços para as suas necessidades; falamos diariamente com muitos deles através do nosso serviço de atenção ao cliente. Em Portugal temos 675 empresas de transporte associadas. As empresas vão-nos transmitindo as suas necessidades e nós vamos adaptando o serviço que prestamos em conformidade com elas.

O que deve uma empresa ou transportador autónomo fazer para se inscrever na vossa bolsa de carga?

Todos os associados à Wtransnet têm de, antes de entrar, apresentar toda a documentação:

Se é um transportador com frota própria terá de apresentar a licença comunitária da empresa como transportadora de mercadorias; a licença comunitária dos veículos; três referências de empresas com as quais trabalha, para que nós possamos validar o bom serviço do transportador; código de certidão permanente (para acedermos a mais informação) e também o comprovativo de pagamento da quota. Dessa forma sabemos que se trata de uma empresa comprometida porque paga antes de entrar e porque passou os filtros por ter a sua informação atualizada. Depois de verificar a documentação que pedimos, validamos o transportador se concluirmos que tem condições para fazer parte da Wtransnet.

Caso não seja transportador e não tenha frota própria, terá de ser transitário. Nesse caso, terá de apresentar o alvará de transitário, o código de certidão permanente e o comprovativo de pagamento da quota – com esses elementos também validamos a inscrição do transitário.

No entanto, os ofertantes de carga – isto é, as empresas que aproveitam a plataforma para anunciar cargas – na Wtransnet necessitam de possuir rating na seguradora Coface. Significa isto que, mal os associados entram, pedimos classificação à Coface. Aqueles que têm rating da seguradora podem oferecer cargas na bolsa, sendo que a quota é ligeiramente superior para os que desejam possuir a funcionalidade de oferecer cargas.

Caso o transitário não tenha rating na seguradora Coface, não pode trabalhar com a Wtransnet. Há, todos os anos, 2.500 empresas que tentam entrar na Wtransnet para oferecer cargas e não podem porque não passam esses filtros de qualidade. Prescindimos de clientes em prol da qualidade – também por isso dizemos que somos a bolsa de carga mais segura.

Facilite a gestão do tacógrafo digital dos camiões da sua frota com o Inotacógrafo.

Share.
Saiba mais sobre:   Negócios e Empresas

Leave A Reply