Portos portugueses cresceram 4,2% na quantidade de carga movimentada em 2014

0

Contabilizando 82,7 milhões de toneladas de carga movimentada, os sete principais portos de Portugal continental cresceram 4,2% em 2014, registando assim o valor mais elevado de sempre. O porto de Sines manteve-se na liderança como o mais concorrido, com 45,5% do total de carga movimentada (e 47,7% do volume total de TEUS), sendo seguido pelo de Leixões e Lisboa na segunda e terceira posições, respetivamente. O saldo foi muito positivo para a maioria dos portos, que, refletindo o total nacional, alcançaram os mais elevados valores anuais jamais registados (sendo as exceções Lisboa e Viana do Castelo).

A carga movimentada nos sete principais portos do continente no ano de 2014 atingiu um volume de cerca de 82,7 milhões de toneladas, valor anual mais elevado de sempre, sendo superior em 4,2% ao verificado em 2013, que detinha, por sua vez, o valor máximo anterior, indica o IMT.

A marca de valor anual mais elevado de sempre verifica-se em todos os portos, com exceção de Lisboa e de Viana do Castelo.

Segundo o IMT, o crescimento do movimento da carga deveu-se aos portos de Setúbal, Aveiro e Leixões que registaram variações de 15%, 13,5% e 5,3%, respetivamente. Os portos de Sines e Figueira da Foz cresceram 2,9% e 1,9%. Já Lisboa diminuiu 1,6% e Viana do Castelo 7,9%, comparativamente a 2013.

Sines “mantém a posição cimeira sendo responsável por 45,5% do total de carga movimentada, seguindo-se Leixões com 21,9%, Lisboa com 14,3% e Setúbal com 9,7%”.

Quanto ao movimento de contentores, atingiu os 2,52 milhões de TEUS no ano de 2014 e foi superior em 14,8% ao valor registado em 2013, sendo o valor mais elevado de sempre neste segmento de tráfego. Ao nível dos portos, a marca de valor mais elevado de sempre no movimento de contentores verificou-se nos portos de Setúbal, Sines e Leixões, cujas taxas de variação em relação a 2013 são de 46,8%, 31,9% e 6,3%, respetivamente.

De acordo com o IMT, o porto de Lisboa fecha 2014 com uma quebra de 8,7% face a 2013. Em Viana do Castelo, “onde o tráfego de contentores tem pouco significado”, regista-se uma quebra de 61,8%. Já o porto de Setúbal, “continua a refletir o efeito das duas linhas de serviço regular de contentores que ali iniciaram a atividade em dezembro de 2013”.

O porto de Sines mantém-se como líder deste segmento de tráfego, com um volume de TEUS que representa 47,7% do movimento total, seguindo-se o porto de Leixões com 27% e Lisboa com 20,3%. O peso relativo do porto de Setúbal neste tráfego situa-se em 4,1% do total.

Fonte: Logística Moderna | Fonte (imagem): Associação dos Portos de Portugal

Share.
Saiba mais sobre:   Nacional

Leave A Reply