Bragança não desiste de ligação a Espanha para transporte de mercadorias

0

Reforçar a ligação com Espanha para o transporte nacional de mercadorias, foi esta uma das ideias fortes deixadas pelo presidente da câmara de Bragança, Hernâni Dias, que se referiu aos transportes rodoviários de mercadorias como uma opção estratégica essencial.

O autarca referiu que “ Bragança deverá ser um ponto de referência ao nível do transporte de mercadorias a nível nacional” acrescentando ainda o facto de as mercadorias do porto de Leixões que seguem para os portos marítimos espanhóis e pelas autoestradas do mar, se forem transportadas por via rodoviária através de Bragança “permite uma poupança de 70 quilómetros em cada viagem” adiantou.

Luta de anos

Para o presidente da câmara de Bragança é do máximo interesse, para a região e para o país, a criação de uma nova ligação rodoviária com Espanha, nomeadamente entre Bragança e Puebla de Sanábria (cerca de 30 quilómetros), onde passará o comboio de alta velocidade e para onde está prevista uma estação “Entendemos nós que efetivamente a ligação Bragança/Puebla de Sanábria é uma prioridade para a região e para o país”, reiterou.

Apesar de não ter tutela direta sobre esta pasta, o secretário de Estado da Indústria, João Vasconcelos, respondeu que as “obras públicas, nomeadamente rodoviárias, têm de ser previstas nos quadros comunReforçar a ligação com Espanha para o transporte nacional de mercadorias, foi esta uma das ideias fortes deixadas pelo presidente da câmara de Bragança, Hernâni Dias, que se referiu aos transportes rodoviários de mercadorias como uma opção estratégica essencial.itários” e “os apoios só podem vir de fundos comunitários”.

“Se o anterior Governo colocou essa obra no quadro comunitário atual para ser financiada, certamente acontecerá, se não, certamente teremos de iniciar os estudos para perceber da viabilidade e colocar no próximo quadro comunitário”, declarou.

O secretário de Estado lembrou que o Governo “decidiu que as obras viárias, rodoviárias prioritárias devem ser aprovadas no Parlamento por dois terços porque são obras que duram várias legislaturas, e o seu impacto dura por décadas, por isso devem ser obras aprovadas por uma maioria no Parlamento”.

O tema foi lançado pelo presidente Hernâni Dias durante a inauguração de uma nova fábrica da Faurecia, a multinacional francesa de componentes automóveis com a perspetiva da criação de mais 400 postos de trabalho a juntar aos atuais 850 da unidade que labora na cidade transmontana desde 2001.

Fonte: RTP (adaptado)

Faça frente ao encarecimento do serviço da sua frota de pesados com soluções que potenciam a poupança.

Share.
Saiba mais sobre:   Nacional

Leave A Reply